30 de abril de 2009

1° de Maio - Um dia de Luta!


O Dia Mundial do Trabalho foi criado em 1889 no Congresso Socialista realizado em Paris, em comemoração aos 100 anos do início da Revolução Francesa. A data escolhida foi em homenagem à greve geral realizada em Chicago, no dia 1 de maio de 1886 .Nesse dia milhares de trabalhadores protestaram contra as condições de trabalho desumanas a que eram submetidos e, entre outras coisas, exigiam a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias.

As manifestações, passeatas, piquetes e discursos movimentaram a cidade e a repressão ao movimento foi dura: houve prisões, feridos e mortos nos confrontos entre os operários e a polícia. A greve durou alguns dias e no dia 3 de maio, diante da fábrica McCormick Harvester, a policia, tentando sufocar o movimento, disparou contra um grupo de operários, matando seis, ferindo cinqüenta e levou centenas à prisão.


Spies, um dos líderes dos operários, convocou os trabalhadores para uma nova concentração na tarde do dia 4. Nessa concentração o clima era de revolta e os oradores, Spies, Parsons e Sam Fieldem, pediam calma, união e a continuidade do movimento. No final da manifestação um grupo de 180 policiais atacou os manifestantes, espancando-os e pisoteando-os. Uma bomba estourou no meio dos guardas, matando um policial, reforços policiais foram chamados , disparam em todas as direções centenas de pessoas,de todas as idades. foram mortas.

Os líderes do movimento, August Spies, Sam Fieldem, Oscar Neeb, Adolph Fischer, Michel Shwab, Louis Lingg e Georg Engel, foram a julgamento, que teve inicio no dia 21 de junho de 1886. A sentença saiu no dia 9 de outubro do mesmo ano. Parsons, Engel, Fischer, Lingg e Spies foram condenados à morte na forca; Fieldem e Schwab, à prisão perpétua e Neeb a quinze anos de prisão. Em memória aos mártires de Chicago, o dia 1º de maio foi instituído como o Dia Mundial do Trabalho.

Muitos perderam a vida na luta por um mundo melhor, desde o massacre de Chicago aos dias de hoje, um longo caminho de lutas históricas foi percorrido, as conquistas da classe trabalhadora só foram possíveis com muita luta. Assim como no final do século XIX, a redução da jornada de trabalho, é hoje a principal bandeira do movimento sindical brasileiro.


A elite economica, os partidos conservadores, com o apoio da mídia hegemônica fazem campanhas para que sejam retirados dos trabalhadores direitos conquistados com muita luta ao longo dos anos, como : 13º salário, direito a férias remuneradas, multa de 40% por rompimento de contrato de trabalho, licença maternidade, etc. Ou seja, querem retroceder na história e retirar dos trabalhadores os direitos conquistados em 120 anos de luta.


A luta dos trabalhadores, hoje é pela redução da jornada de trabalho e pela manutenção dos direitos trabalhistas, conquista de toda a classe trabalhadora ao longo de sua história.



colaboração de Lúcia Orpham e La Pasionaria Ibarrure

2 comentários

Júlio Pegna

O Primeiro de Maio se transformou no dia que as centrais sindicais fazem festas com artistas populares, descaracterizando o ideal de uma data tão importante!

A Rede Globo, o SESC, SENAI e SENAC, montam barracas para cortar cabelo, tirar segunda via de documentos e arrancar dentes dos trabalhadores! A data se tornou no "dia do operário pobre", e as centrais embarcaram na onda!

Uma pena.
A história se perdeu diante do poder da mídia!

Lúcia Orpham

Mas, a melhor forma de resgatar esse dia é contando sua história.

É preciso mudar. E para mudar é preciso conscientizar.

Se acharmos que não vale a pena, então é melhor jogarmos a história no lixo e nos aliarmos àqueles que manipulam a história. Acho que nosso papel é de questionamento e não de submissão.

Um abraço Julio, saudades de ti.