12 de janeiro de 2009

A "São Paulo Mobilizada" se reuniu






Não sou crítica de cinema, (alias, para que servem os críticos mesmo?)nem tampouco especialista, sou apenas cinéfila. Gosto de filmes, de ação, épicos, de ficção, dramas, romances açucarados e de filmes antigos em preto e branco. O cinema é mágico, tem o poder de nos transportar, por algumas horas, para uma outra realidade.
A vida imita a arte, ou arte imita a vida? Pode ser um clichê, mas há momentos em que é inevitável fazer essa comparação.
O filme “Adeus Lênin”, do alemão Wolfgang Becker, me emocionou muito. Me coloquei no lugar da protagonista e consegui sentir, tristeza, alegria, raiva , decepção além de rir muito com algumas situações, apesar do filme ser categorizado como drama. Para quem não assistiu, deixo abaixo a sinopse e o link para dar uma olhadinha num trecho do filme.


A “São Paulo Mobilizada”, comunidade do Orkut realizou no dia 10 de janeiro de 2009 seu primeiro encontro entre alguns de seus membros. Compareceram 13 pessoas de um total de 63 participantes da comunidade virtual, não sei se é um bom número ou não, o que sei é que foi um encontro muito interessante. Pessoas alegres, bem informadas, politizadas e que tinham a sensação de que já se conheciam há muito tempo, embora estivessem se vendo pela primeira vez. Essa sensação, talvez seja por já termos nos comunicado, através da comunidade virtual e vermos as fotos dos participantes nos seus respectivos perfis, talvez por ser um grupo que partilha dos mesmos ideais, ou (quem sabe?) o mundo virtual esteja fazendo ressuscitar o verdadeiro significado de “COMUNIDADE”.
Houve as devidas apresentações, cada um falando de suas experiências de mobilização, de suas lutas políticas e de suas militâncias. Era tanta experiências para contar, que foi difícil garantir o tempo necessário para cada um dos participantes, com certeza, ficou muita estória sem contar. Uns mais românticos, outros mais saudosistas, outros mais pragmáticos. A maioria com uma longa estrada já percorrida e com muitas experiências e os mais jovens, ouvindo tudo com muita atenção como se quisessem aprender com as estórias contadas, nos emocionaram com seu idealismo e disposição para a participação.


Voltando ao filme “Adeus Lênin” e ao clichê.
Quando ouvia o depoimento de um dos participantes, meus pensamentos voaram até o referido filme e comecei a matutar:

Será que somos todos sonhadores?
Se convocássemos uma grande mobilização, qual seria o resultado?
As pessoas estão mais individualistas e solitárias, voltadas para seus próprios problemas dentro de seus mundinhos particulares?
Que bandeiras teríamos que levantar, nos dias de hoje, para mobilizar um grande número de pessoas como foram mobilizadas em grandes manifestações do passado?
As novas tecnologias de informação estão ajudando ou atrapalhando a mobilização?
As comunidades virtuais, onde um grande número de pessoas se manifesta, protesta, defende seus ideais com veemência não estaria fazendo o papel do jovem filho da socialista da Alemanha Oriental , criando uma ilusão de realidade, onde todos podem participar, opinar, decidir?


Já há exemplos de sucesso nesse mundo virtual, parece que a internet teve um papel importante na eleição de Obama nos Estados Unidos. Vale a pena conferir e apostar, se o que temos em mãos é esta nova ferramenta, vamos usá-la e democratizá-la. Cada um tem,agora, a tarefa de pegar seu “Mimeógrafo” cibernético e fazer chegar ao maior número possível de pessoas o revolucionário panfletinho virtual .
Mas, de vez em quando, um encontro presencial é insubstituível.




“ADEUS LENIN”

Sinopse: A mãe de Alexander, fiel devota do socialismo na antiga Alemanha Oriental, tem um ataque cardíaco ao ver o filho em uma passeata contra o sistema vigente. Quando ela acorda do coma, após a queda do muro de Berlim, o médico aconselha a Alexander que ela evite emoções fortes, pois outro ataque tão cedo seria fatal. Com o peso na consciência pelo estado atual de sua mãe, Alex faz de tudo para que ela continue vivendo em uma ilusória Alemanha socialista, mudando embalagens de produtos industrializados e até mesmo inventando documentários televisivos para preencher as brechas do dia-a-dia do recente capitalismo no país.

Direção: Wolfgang Becker
» Roteiro: Wolfgang Becker, Bernd Lichtenberg
» Gênero: Drama
» Origem: Alemanha

4 comentários

ana cristina nadruz

(amiga Passionária, foi você quem postou? penso que já conheço teu estilo...rsrs)
Tive muita satisfação e honra de ser uma dessas 13 pessoas no encontro de sábado.Otimista que sou, acho que as tecnologias mais ajudam que atrapalham, como qualquer ferramenta quando sabemos usá-la no seu melhor. Assim pude conhecê-los. Assim pudemos estar juntos. Não senti nosso encontro como fantasioso ou utópico. Foi entusiasmado e realista. Mas, como diz um ditado de tu tierra: Caminante, el camino se hace al caminar. Nossoa passos já deixaram pegadas!

Lúcia Orpham

Perfeito, Passiô! A internet cria uma ilusão de realidade, mas cabe aos “sonhadores” como nós desconstruir essa ilusão. Dar a devida importância ao mundo virtual sem, porém deixar de insistir nas mobilizações presenciais que no fundo são mais pragmáticas que utópicas.

Amei a experiência de conhecer os amigos virtuais, voltei cheia de energia e planos. Ontem em uma reunião da executiva, senti que nossa idéia foi bem aceita. Algumas sugestões do Marcos vão ser estudadas e em breve teremos mais uma cidade mobilizada.

BRASIL MOBILIZADO

Lucia, também acredito que só depende de nós.
Vamos tirar o melhor da ferramenta que temos em mãos. Agora é o mundo virtual, pois vamos potencializá-la
La Passionaria Ibarruri

Júlio Pegna

O impulso para o passo seguinte somos nós mesmos que provocamos. Assim, se anda.

O destino, cada um sabe do seu, mas quando gente DO BEM se encontra para debater assuntos que interessam a TODOS, só pode dar coisa boa ...

Parabéns!
Continuem provocando novos passos!

SANDALIAS DO PIRATA
http://sandaliasdopirata.blogspot.com