2 de abril de 2016

O GOLPE JÁ ACONTECEU!




Por Júlio Pegna

Estive nas manifestações dos dias 18 e 31 de Março. Ao lado de movimentos sociais organizados, sindicatos, associações, jovens, velhos, pobres e ricos. Vi de tudo na rua. Foram manifestações populares porque havia povo. Bem diferente das marchas contra a Democracia.

Mas há uma coisa em comum nos dois movimentos, os de direita e de esquerda: são românticos e deixam a sensação de que o poder emana do povo.
Balela!

O golpe aconteceu há 2 anos num posto de gasolina com a prisão de Alberto Youssef. Daí o nome Lava Jato. Foi nesse dia que começou a se arquitetar o plano de destituição de um governo popular eleito na urna, com participação de todas as tendências políticas. Limpo.

Não tenho dúvidas que exista uma articulação com financiamento internacional que pretende se apoderar de uma riqueza imensa, algo em torno de 8 trilhões de dólares, em forma de um liquido preto viscoso. Petróleo.

Não existe um país no mundo em que sua justiça destrua empresas em nome do que quer que seja. Aqui, na contramão, a Lava Jato operou para desvalorizar a Petrobras e as empreiteiras.
Raciocine comigo: a maior empreiteira do Brasil é a Norberto Odebrecht, mas foi a última ser incluída na investigação. Deveria ter sido a primeira. 
Estratégia? Óbvio! O desmonte começou com as menores cujas obras se espalham pelo Brasil inteiro. Meticulosamente planejado.

Em consequência, caiu a atividade econômica e o índice de emprego. Cai a arrecadação e o dólar dispara. Os preços internacionais aumentam e surge a inflação dos importados. As contas públicas se desequilibram e a crise não para de crescer.
Quem entende um pouco de economia sabe que a queda do PIB não foi obra dos atos do governo, mas de um boicote sistemático à arrecadação e ao emprego.
A lógica é simples, mas muito, muito bem arquitetada.

Sempre enxerguei Sergio Moro como um ser incapaz de colocar em prática um plano desses. Nem os meninos do Ministério Público Federal de Curitiba. São da área do direito, não entendem de mercado, de cotações, de imaginário popular, de manobrar massas.

Quem, então?
A CIA, a Globo, a FIESP, os bancos, ou todos em conjunto. Não importa quem, mas há marqueteiros sagazes por trás do golpe. Uma inteligência nociva, obscura, oculta, nos porões. Manipulam dinheiro e seus interesses estão acima da democracia, da liberdade, da individualidade. Eles se lixam para você!

Onde quero chegar?

Está claro que atingimos um ponto onde há uma profunda divisão da sociedade. Não é relevante, neste momento, culpar este ou aquele, saber quem é o arquiteto ou de onde vem o dinheiro. Estamos diante de uma crise que, em algum momento, vai alcançar o ponto crucial:
Ou Dilma cai ou fica!

Levar milhões de pessoas às ruas pedindo pra sair ou ficar não decide o futuro político do país, não nos tira nem aprofunda a crise. Não resolve. É cair ou ficar!
Quem decide é o Congresso Nacional. Para um lado ou para o outro. Não há meio termo, não há saída intermediária.

Haverá insatisfação dos perdedores. Seja um ou outro.
O que virá depois?

Nas ruas, na manifestação das esquerdas, o grito #NaoVaiTerGolpe vem seguido de outro: #VaiTerLuta. Nas passeatas da direita, há um ódio incontrolável, um desejo de extirpar a esquerda e a demonstração de que haverá violência se não alcançarem o objetivo.

É isso que preocupa. A Luta. O sangue. As vítimas que saíram às ruas de forma romântica acreditando que sua voz pode ser ouvida.

A sensação que tenho é que não haverá controle sobre as consequências, depois que Dilma cair ou ficar. Estamos às vésperas de escrever páginas violentas de nossa história, com sangue e destruição.

Se Dilma ficar – é isso que espero e vou defendê-la até o fim –, os mentores intelectuais do golpe vão jogar na rua sua massa de classe média descontente. Vai seguir destruindo a economia, o emprego, o sistema legal, a produção e os preços.
Se Dilma cair – e não vou aceitar –, uma provável onda de greves colocará o país num caminho de queda da economia, de desabastecimento, de invasões e de convulsão. As lideranças vão colocar sua massa nas ruas, desta vez não para dizer que não vai ter golpe, mas para revertê-lo.

Em qualquer dos dois cenários haverá gente fora de controle. Sabemos que basta um tiro, uma pedrada, uma vitrine quebrada para começar uma revolta. Correria, gritos, bombas e ... sangue!
E as Polícias Militares com seus exércitos de assassinos à solta, com seus alvos pré-definidos, com bombas de fumaça para encobrir as chacinas.

Acha que é exagero?
Adoraria estar delirando, mas vi pessoas, de ambos os lados, que não estarão dispostas a voltar para casa em caso Dilma cair ou ficar, conformadas em esperar as próximas eleições. Qualquer que seja o lado perdedor, a Democracia, já na corda bamba, pendendo, estará correndo o risco de cair. Já está, aliás. Basta um ligeiro empurrão e...

E depois, quando tudo passar, pois vai passar de um jeito ou de outro, será a hora de buscarmos os culpados. E tentar recolocar nos trilhos nossa vida.

Nossa liberdade já está sendo manipulada. Nossa, de toda a sociedade, de todos os grupos. O perigo é iminente, as relações já estão deterioradas, as ofensas tornaram-se comuns. A violência física já ocupa o espaço da verbal. A cordialidade do brasileiro não existe mais desde o golpe iniciado no posto de gasolina.


Boa sorte a todos. Estarei do lado da Democracia, esteja ela onde estiver, ao lado de companheiros que pensam como eu, com Dilma e Lula, ou sem eles!

5 comentários

Luiz Carlos Oliveira

Julio: parabéns pelo texto. É exatamente o que eu tenho dito nas conversas sobre nosso momento político atual. Mas como é que nossos políticos não enxergam as consequências dessa insanidade? Quais interesses levam essa corja a seguir adiante esse projeto que pode acabar com nossa economia?

Luiz Carlos Oliveira

Julio: parabéns pelo texto. É exatamente o que eu tenho dito nas conversas sobre nosso momento político atual. Mas como é que nossos políticos não enxergam as consequências dessa insanidade? Quais interesses levam essa corja a seguir adiante esse projeto que pode acabar com nossa economia?

Júlio Pegna

A resposta a sua pergunta, Luiz, até que é bastante simples: dinheiro!
De onde? Do pré sal.
Pra mim, isso é claríssimo.
Abraço.

Júlio Pegna

A resposta a sua pergunta, Luiz, até que é bastante simples: dinheiro!
De onde? Do pré sal.
Pra mim, isso é claríssimo.
Abraço.

João Luiz Pereira Tavares

Mas sério mesmo para o ano de 2017, é o seguinte:

O problema é a SUAVE & disfarçada truculência do PeTê... Repare:
É evidente que o Petismo se utiliza de técnicas das mais brilhantes de publicidade, brilhantes, mas ENGANA-TROUXA...

Petista apenas & só se preocupa com PSDB e outras ASNEIRAS. Que amor enrustido! Só fala a toda hora e minuto sobre PSDB etc.

Mas petista nem se lembram do PeTê mesmo… Vejam um único exemplo bem simples:

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
A Semiótica do Coração Valente
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Mas quanto a tudo isso o que importa é a publicidade & a propaganda, somada com a baranguice de VELHA — tal qual Dilma. Eis:

Grave mesmo é isso aqui:

GOLPE e «CORAÇÃO VALENTE»:

São clichês publicitários elaborados por 1 publicitário! Tal qual o preso milionário JOÃO SANTANA (o “Feira”…). São tais quais a frase publicitária de iogurte da DANONE, assim, veja:
«DANONINHO VALE POR 1 BIFINHO». [ou: “CVC pensando em você”].

Nunca jamais houve GOLPE; assim como DANONINHO jamais VALE POR 1 BIFINHO… E o slogan petista “Coração Valente” é uma frase feliz em termos publicitários (fazer a cabeça via mitologia), mas de um vigarismo extraordinário.

[e reparem.., tudo isso tem a ver com Educação grosseira do Governo Petista. A pior da América inteira].