10 de outubro de 2012

Emocionado Edaurdo Suplicy lê carta de filha de Genoino

Eduardo Suplicy se emociona ao ler carta de Miruna Genoíno sobre o seu pai, José Genoíno. Chorando, ele presta homenagem ao companheiro do PT

1 comentário

Elizabeth Furtado Bete

O QUE ME IMPRESSIONA NESSA HISTÓRIA TODA, é o fato
de que quase ninguém procurou refletir sobre o estranho caminho tomado por alguém que queria ser corrupto: abandonar o lar, lutar contra uma ditadura violenta, se submeter a torturas, correr risco de vida, passar 5 anos preso, acompanhar o processo de transição para a democracia, gastar os melhores anos, para conseguir o intento de ficar rico às custas do Estado. Não é o que a história tem nos mostrado. Não seria melhor se alinhar à ditadura,
se alinhar aos interesses anti-democraticos, servilmente? Alguém que opta por pagar o crime primeiro, para depois se tornar criminoso? Sabe, nem mesmo sei se será publicado, mas, não quero morrer com vergonha de um caminhar patético no efeito manada, novamente aprisionada pelo veto do exercício de inteligência, que me incapacitará como ser humano.
Prefiro pensar. Dá trabalho mas me liberta.