19 de agosto de 2012

As incoerências do Femen Brazil








“O Fantástico acompanhou todos os detalhes dessa história”. Assim, com ar de furo exclusivo, Tadeu Schmit chamou a história da brasileira que viajou três dias até a fria Ucrania. Tudo com um nobre pretexto: protestar a favor dos direitos das mulheres ao lado das meninas do Femen.

O grupo surgiu na Ucrânia em 2008 e chamou atenção do mundo na última Eurocopa, sediada pela Ucrania. De seios de fora, enfrentando temperaturas abaixo de zero, as Femen protestavam contra o turismo sexual na ex-república soviética.

Como lembrou Leonardo Rossatto em seu blog “O Enciclopedista”, o Femen é uma reação a uma situação de opressão. Não são de esquerda, não tem pretensões ideológicas. Especialmente num país onde a grande discussão é ser nacionalista e capitalista ou reintegrar-se ao território russo e voltar a ser província.

Confesso que nunca prestei atenção ao Femen. Sabia por alto de suas ações na Europa e da existência uma manifestante brasileira presa durante os protestos da Eurocopa. Tudo tão superficial quanto a matéria do Fantástico. Se não fosse o pseudo protesto anti pirataria numa livraria de São Paulo, o Femen continuaria a parecer um folclore criado pela mídia num domingo modorrento e sem notícia.

Curiosamente, foi num domingo que Vanessa de Oliveira, ex-garota de programa e escritora, resolveu ficar nua para protestar contra a suposta pirataria de seu livro. O local escolhido foi a vitrine da livraria Martins Fontes, na Avenida Paulista. Vanessa expunha o corpo pintado com a frase “não a pirataria” escrita em duas línguas. Ao lado de Vanessa estava Bruna Themis. Jovem estudante de direito de São Paulo que aderiu ao FemenBR na última semana.

Históricamente o movimento feminista no Brasil é ligado à esquerda. Toma como sua bandeiras caras a vários movimentos sociais. Uma delas é o livre acesso à informação. Por que o FemenBR iria aderir ao protesto mercantil de Vanessa – diante dos jornalistas, a escritora deixou de lado a pirataria e fez propaganda de seu novo título?

Afinal, qual é a bandeira do FemenBR? É direita, esquerda, muito pelo contrário? Quanto mais buscava respostas, mais dúvidas brotavam das relações do FemenBR. Aparentemente eu não era a única incomodada.

Após o protesto-propaganda de Vanessa, começaram a pipocar informações sobre as ligações da “líder” da organização, Sara Winter, com a extrema direita. Para minha surpresa, na pagina do grupo no Facebook, havia um post enorme que dizia que o FemenBR era uma organização “apolítica”.

Mais um espanto. Um movimento de atuação militante não pode ser apolítico (na realidade, um ser humano não pode ser apolítico). Ele pode ser apartidário, ou seja não ter ligação com nenhum partido político. Diante do questionamento de várias pessoas, FemenBR decidiu apagar um tópico enorme com uma discussão muito rica que havia se desenvolvido nos comentários. A correção foi feita em outro post, dizendo que o Femen Brazil é apartidário. No entanto, apartidário é mais uma coisa que o FemenBR diz ser. Mas não é.

Eles também se dizem “ong”, mas não são. Para ser ong no Brasil é preciso seguir uma legislação. Na prática “ong” serve para tudo. Da TFP ao movimento de atores globais contra Belo Monte. Após questioná-los várias vezes nas redes sociais a respeito da situação do movimento como organização não governamental e pedir informações transparentes, não obtive nenhuma resposta.

Foi na falta de resposta ou na busca por informação que topei com alguns sinais estranhos. Mais precisamente, partidários. A cada dois anos o Brasil se transforma. Décadas de discussões democráticas são derrubadas, aliadas de ocasião que se odiavam, amam-se apaixonadamente, assim como a noção de direita e esquerda fica tão distorcida que é possível ver azul e vermelho se unindo em algum ponto do espectro.

Por isso não me espantei quando cheguei ao nome de Andrey Cuia, ou Andrey Russo, assessor da Sara Winter e do Femen Brazil e candidato a vereador em Santo André pelo PMN. (Ainda em tempo, o PMN está para o PPS, assim como o PPS está para o PSDB. PMN e PPS estão coligados em São Paulo apoiando a candidata Soninha Francine, ex-coordenadora de campanha de Serra em 2010)

No perfil do candidato, Russo cita, entre outras coisas, “GLBT & Mulher - não se bate nem com uma flor! Discriminação de qualquer tipo, exploração sexual, sexismo, violência doméstica não podem existir! Parcerias com ONGs, OSICPs, Femen Brazil e lideranças.”


A ligação Russo com o FemenBR vai além da mera parceria, como ele diz. Há provas de que ele usava a conta paypal de sua empresa, a Astech para arrecadar fundos para a viagem de Sara à Ucrânia.

Até aí, nenhum problema. Não há crime neste fato. Mas o FemenBR não pode se declara apartidário. Há um partido. E mais, um candidato que disputa a próxima eleição.

Russo não nega que seja assessor do FemenBR. Na sua conta do twitter ele assina como “assessor voluntário”. Além disso tentou entrar em contato com vários veículos de comunicação para enviar releases de manifestações do grupo. O que Russo nega é que tenha influência dentro do FemenBR.

Pelo menos aqui ele aparece dando instruções a Sara de como agir nas manifestações no Brasil. Em uma parte do texto, Sara admite que o FemenUA não tem homens. Mas que aqui no Brasil ela gostaria de contar com o fotógrafo do grupo e com o assessor Andrey Cuia. Aqui, Andrey admite que escreveu textos no perfil do FemenBR.

Não há nada de ilegal na relação entre Sara, Andrey e o FemenBR. Assim como não há nada de errado com a participação de Bruna Themis (a segunda Femen no Brasil) no protesto de escritoria Vanessa. Repito: nada de ilegal. É só marketing.

Neste caso, um grupo que se diz apartidário e se deixa usar como cabo eleitoral por candidato. Russo usa o nome da organização FemenBR para respaldar seu envolvimento com o movimento feminista e a luta pelos direitos das mulheres no Brasil. Sara, de todo o modo, não pode dizer que desconhecia a atuação política de Russo. Os textos e as datas desmentirão ela.

Mais informações a respeito da ligação de Andrey com Sara Winter e o Femen Brazil podem ser encontradas no seu perfil pessoal do facebook https://www.facebook.com/andrey.cuia ou no perfil do twitter @as_tech

13 comentários

Vanessa de Oliveira

Antes de vc criticar a não pirataria de livros como um tolidor de informações a quem não tem acesso leia isso:

www.vanessadeoliveira.blogspot.com

talvez vc tenha uma segunda profissão e possa se dar ao luxo de escrever de graça, mas eu particularmente levo a profissão de escritora MUITO Á SÉRIO. Minha cota de contribuição social se restringe a um livro, Reunião de Bruxas, que doo os direitos autorais desde 2011 para caridade, mas não posso fazer o mesmo com todos os livros.

se a pirataria prosseguir a profissão de escritor desaparecerá.

quem pirateia livro é classe a e classe b, gente que torra 50 reais em cerveja mas fica se dando desculpinha pra não comprar livro no brasil porque é car.

espero q depois de ler mus argumentos vc reveja sua postura frentea pirataria. O dia q vc passar um ano escrevendo um livro e ele for pirateado vc vai saber do que eu falo

Adriana

vanessa

Vc não entendeu NADA do que ela postou!
Ela não criticou vc e seu protesto, e sim o Femen que DEVERIA protestar contra outras coisas!

Maria,viajante do Universo de passagem pelo planeta Terra
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria,viajante do Universo de passagem pelo planeta Terra

Conheço Sara Winter antes de seu ingresso no FEMEN. Somos de São Carlos-SP e ela á amiga de um sobrinho meu,menina nascida em família tradicional e religiosa.Sua trajetória de vida já prenunciava ser uma mulher adiante do tempo. É "natural" que suas falas ainda não sejam tão claras quanto a vários aspectos da realidade mas na minha modesta opinião Sara Winter já fez muito mais que milhões de seres humanos aqui no planeta Terra em defesa dos direitos das fêmeas humanas.Se o FEMEM BR é isso ou aquilo, se esbarra aqui ou ali só tempo dirá. Ainda é muito prematuro o movimento(na Ucrânia seu berço, como aqui no Brasil). Muito barulho e mimimi.Aguardemos, pois, expor os seios porque quero e por ser meu direito talvez resulte em mais resultado positivo do que a Lei Maria da Penha.A mudança se faz pela Educação e não pela punição de costumes e mentalidades arraigadas.As mulheres revelam-se mais conservadoras e os homens mais machistas, com certas posturas diante de manifestações como as do FEMEN e outros movimentos feministas parecem temer a concorrência em nome do purismo dos mesmos ou dos choques de interesses.

Erick Sagaguara

Mesmo com os seus argumentos a Femmen é um movimento apartidário.
Eu não vi a Femmen divulgar na pagina delas no Facebook nenhum partido, eu vi um partido dizer que apoia a Femmen, talvez isto tenha passado despercebido por você mas acredite tem uma extrema diferença, explico.
Se eu criasse um partido, site, qualquer coisa, nazista e doasse dinheiro para seu site então colocasse um link no meu site ligando-o ao seu blog, pergunto a você. Nazismo é crime logo eu seria preso mas e você seria?
Segundo a sua lógica, sim, pois se o fato do vereador citar a Femmen no site deles as faz partidárias logo o fato de eu citar você no meu site nazista imaginário te faz nazista.
Entende, é por isto que a Femmen é apartidário.

Avelina Martinez Gallego

Em resposta ao comentário da Maria viajante do tempo:

Importante destacar: o que foi apontado no post. é o "aparelhamento" de um movimento que,mesmo que ainda um pouco confuso,é importante, mas que, (TALVEZ??) esteja sendo utilizado por pessoas e/ou partidos que nunca se preocuparam com a questão do feminismo.
Movimentos sociais e ONGs, tem o dever de se desvinvular de partidos e interesses outros que não sejam o seu objetivo primordial.
Inocentes úteis são mais prejudiciais do que "os não inocentes" que servem a causas não explícitas.

Letícia Oliveira

Cara Vanessa, não te conheço e não conheço o teu trabalho, nem estou criticando nada relacionado a você. Minha crítica foi a associação do Femen a um tipo de protesto que vai contra uma bandeira que vem sido levantada pela maioria dos movimentos sociais, que é a do livre acesso à informação.

Você, como ser humano independente que é, tem todo direito a seguir a orientação ideológica que lhe apetecer. O Femen, como organização que luta pelos direitos das mulheres, deve ser questionado sempre que suas relações com bandeiras levantadas por ideologias que sempre foram opressoras e desrespeitadoras dos nossos direitos - e a luta antipirataria é e sempre foi uma bandeira de direita.

Cara Maria, me estás acusando de postura machista e conservadora no texto? Em nenhum momento critiquei a forma do Femen protestar - e nem poderia, afinal não sou moralista e acredito que a mulher deve dispor de seu corpo e sua sexualidade como bem entender, inclusive acredito que usar o nudismo como forma de protesto é extremamente válido enquanto crítica à noção machista de que um corpo nu feminino sempre será visto como objeto sexual, que é o que a Marcha das Vadias faz com propriedade.

O que eu critico aqui é a falta de transparência e coerência ideológica de um movimento que teve sua representante aqui no Brasil alçada à categoria de símbolo do movimento feminista brasileiro, ignorando toda a história pregressa do feminismo aqui no Brasil e suas (nossas!)lutas e conquistas.

Caro Erick, o envolvimento direto do Andrey Russo como assessor do Femen Brasil está bem claro em todas as imagens e links que postei.

Um movimento social politicamente independente e apartidário pode ter em seus quadros pessoas ligadas a partidos contanto que estas pessoas não tragam para dentro do movimento influências da política partidária ou que envolva diretamente o nome do movimento com o partido, como associá-lo a campanhas políticas - que foi exatamente o que o senhor Andrey fez ao usar o nome do Femen BR em sua campanha dizendo ser uma "ONG" parceira.

Vanessa de Oliveira

A PIRATARIA NÀO É DE DIREITA E NEM DE ESQUERDA. ONDE É QUE ESTÁ ESCRITO ISSO? PODE ME MOSTRAR?

ALIÁS, O GOVERNO NEM ANDA SE MANIFESTANDO CONTRA OU A FAVOR.

E SE FOSSE PRA DECIDIR UMA COISA COMO SENDO JUSTA OU INJUSTA LEVANDO-SE EM CONTA SE ELA É DE DIREITA OU DE ESQUERDA NÃO HAVERÁ BOM SENSO NUNCA, APENAS ROTULAÇÕES.

AS PESSOAS DEVEM PENSAR MAIS E PESAR MAIS ANTES DE DEFINIREM SUAS IDÉIAS LEVANDO-SE EM CONTA APENAS POSIÇÕES POLITICAS, POIS PELO QUE ME CONSTA NENHUM DOS DOIS LADOS ESTÁ 100% CERTO.

SÓ SEI QUE PIRATARIA É CRIME, LESAA SOCIEDADE, FERRA COM QUEM PAGA IMPOSTO E DESINCENTIVA OS ESCRITORES BRASILEIROS. SE É DE DIREITA OU DE ESQUERDA LÁ QUERO EU SABER?

SÓ QUERO O QUE É CERTO...

Letícia Oliveira

Vanessa, entenda uma coisa: O texto não é sobre você. Por mim você pode se pintar de rosa com bolinhas verdes e sair dizendo por aí que jesus era ateu que não me importa.

O que você pensa, qual a sua ideologia, se você acha ela certa e a minha errada, nada disso importa. O que importa é que o seu protesto foi associado ao Femen e só foi usado no texto como exemplo das muitas incoerências ideológicas do movimento.

Ana

Essa Vanessa de Oliveira é outra fraude que está associada ao Femen. Consultora da playboy (que diacho de movimento feminista é esse?!), "escritora", teve a ideia de chamar mais atenção à venda de seus livros (ou à sua imagem, whatever) ficando nua. Só que ficar nua sem motivo algum não cola, então um protesto-contra-qualquer-coisa serviu como um ótimo plano de fundo. Ela reclama que seus livros estão sendo alvo do download ilegal, mas se vc digitar Vanessa de Oliveira download no google, só vai encontrar filmes pornôs. Não estou dizendo que ela não escreve, pois suas publicações existem, mas pelo que podemos constatar em uma rápida busca no google, ela nem ao menos está sendo prejudicada pela pirataria. Vc nem mesmo encontra os livros dela para baixar. Fail Vanessa, muito fail.

(Só espero que depois da sua aparição as vendas aumentem)

Anônimo

Não entendo a dificuldade de algumas pessoas em entender o texto muito bem escrito aqui neste blog. Não vi machismo, não vi mente fechada ou coisa do tipo, vi uma análise coerente sobre o que o Femen DIZ ser x o que ele MOSTRA ser. Só tirar a roupa vale de alguma coisa sem conteúdo? O protesto chama atenção, ótimo... e agora? Pobres moças, não buscam saber a diferença entre apartidário e apolítico, entre ONG ou entre grupo de protesto. Mulheres como Maria da Penha ou Zilda Arns ganharam muito mais respeito sem tirar a roupa, e isso não significa que as Femen não possa fazer um bom protesto na linha que seguem, mas só tirar a roupa resolve? Deveriam estudar mais pra dar consistência ao que dizem defender, e não brincar de revolucionárias que levantam a bandeira feito daltônicas. Eu dava valor ao Femen, mas não acredito mais. Busquem Sara Winter na internet! Ela disse á Marília Gabriela que não quer usar de fotos sensuais, mas tem fotos dela DE ENSAIO FOTOGRÁFICO! Parabéns pelo texto!

Unknown

As incoerências do Femen...um movimento que se diz feminista, não conversa com os outros movimentos Feministas e não aceita gordas e negras. Uma amiga minha negra tentou fazer parte do FEMEN, ela foi com uma outra amiga minha branca e deram a maior atenção pra minha amiga branca deixando a outra que era negra de lado.

http://rosanaabsalao.blogspot.com.br/2012/11/eu-nao-sou-femen.html