2 de novembro de 2011

Um dia encontrei forças para vencer um câncer fazendo a campanha de Lula, hoje quero pedir #ForçaLula

Lula, em vídeo gravado no Hospital Sírio Libanês declarou:
A gente sabe que é uma doença dífcil, mas nunca pensa que pode acontecer com a gente, acontece com nossos amigos, algum parente....mas com a gente não.
É isso mesmo, não é clichê! A gente sabe que o câncer é cruel, já viu amigos, parentes, gente famosa com câncer, mas com a gente não...
Mas acontece sim.
Foi assim comigo:
Uma tarde de verão , depois de tomar muito sol na piscina, passando hidratante no corpo, senti um pequeno caroço na mama esquerda. Que coisa estranha! Não pode ser! Será?
Chamei minha cunhada e perguntei:
-Será que é algo grave?
-O que você acha?
Minha cunhada, para me tranquilizar disse-me que não ficasse preocupada, poderia ser alguma alteração hormonal pré-menstrual, mas que deveria procurar um médico assim que voltasse para casa.
E procurei um médico.
Exames de sangue, mamografia, ultrasonografia, punçaõ, outra punção com vídeo e o ginecolista me encaminhou para um mastologista.
Novos exames, e a dúvida!
Pode ser apenas um cisto, mas temos que operar.
Mas como operar, se pode ser só um cisto?
Sempre tive uma ótima saúde, nunca me descuidei, fazia mamografias a cada dois anos desde os 26 anos, por conta de umas displasias mamárias.
O mastologista com muita paciência explicou o procedimento padrão:
-Nós fazemos uma pequena incisão na auréola do mamilo e retiramos o cisto que será congelado na sala de cirugia. Se der negativo, fechamos e pronto. Se der positivo, retiramos uma área maior da mama.
Como essas coisa só acontecem com os outros, fui para o centro cirúrgico convicta de que seria apenas um cisto.
Meu marido diz que eu nem queria que ele estacionasse o carro no estacionamento pago.
 Pra que? É coisa de 30 minutos! Não vale a pena gastar dinheiro com estacionamento.
Quando acordei da anestesia, ainda confusa, sem saber quanto tempo havia ficado na mesa de cirurgia, pedi que uma enfermeira chamasse o médico, pois queria saber o que ele havia encontrado.
-E então doutor, era apenas um cisto?
O médico, passou a mão na minha cabeça e disse:
-Infelizmente era um câncer,mas fique tranquila que tudo vai dar certo!
A partir desse momento minhas lembranças se embaralham ,  me senti caindo num abismo e voltando já no quarto do hospital, com meu marido chorando e molhando meu rosto com suas lágrimas.
Depois veio a quimioterapia com toda a devastação que ela causa no nosso corpo, a radioterapia e até hoje, passados 6 anos, o compromisso semestral com os médicos, as mamografias e os sobressaltos que tenho de vez em quando.
Uma das limitações que a quimioterapia impõem a quem está em tratamento é o sol. Não se pode tomar sol fazendo quimioterapia. Comecei a fazer o tratamento em janeiro, portanto nada de por o nariz para fora de casa.
 Quando saia para ir fazer as aplicações me cobria com uma enorme canga de praia dos pés à cabeça além de chapéu e um guarda sol.

Essa reclusão forçada, por mais de 8 meses, fez com que buscasse alternativas para ocupar meu tempo dentro de casa.
                                         







avatar do meu perfil no Orkut  usado na comunidade Apoiamos Lula ( careca da quimio) adesivado pela Rosangela Basso





Foi quando conheci o Orkut e entrei numa comunidade de política.
A "PT Comunidade Oficial". Passava parte do dia discutindo política (uma de minhas paixões) com pessoas interessantes, politizadas e inteligentes.
Pouco antes do início da campanha eleitoral do segundo mandato de Lula, a comunidade foi hackeada e roubada e a maioria dos membros migrou para outra comunidade de apoio ao Lula. Iniciada a campanha eleitoral, passava  dia  e noite agitando na comunidade.
Essa militância virtual afastou o tédio, a angústia e os medos que o tratamento causavam.
Eu tinha um objetivo:  Reeleger Lula
O tratamento acabou, o câncer foi vencido, mas a militância virtual continua até hoje.
Nessa trajetória conheci gente interessante, alguns passaram da amizade virtual para a real, outros foram se perdendo pelo caminho, mas Lula, que me motivou num difícil momento de minha vida continua e continuará conosco por muito tempo, pois a força desse homem é imensurável.
#TeimeLula é isso que esperamos de você!

4 comentários

Reg

Força Lula, nós podemos juntos, nós podemos mais... Como diz a música.

Erasmo

Rosângela, eu sou da Comunidade do PT, junto com Lúcia Orpham e o Ruy Acquaviva, dois queridíssimos amigos que só são amigos virtuais por enquanto, além do outros. Acompanhei seu caso e torci muito pela sua recuperação. Fico feliz de vê-la recuperada e atuante. E tenha certeza que o Lula vai sair dessa. Dona Lindu nunca deixou que ele abandonasse a luta e não vai ser agora que ela vai querer levá-lo.

Um beijo, querida.

Avelina Martinez Gallego

Erasmo,
Companheiro de muitas horas
A autora e personagem central do depoimento não é a Rosangela, sou eu a Ave Linda, lembra?
foi você quem me batizou assim.rsrsrs

Erasmo

foi mesmo!!! hahahhahahhaahahaha!

As redes sociais, especialemnte o Orkut, me permitiram este vivenciar mesmo à distância,estes momentos de dor e preocupação com pessoas que não conheço pessoalmente mas que aprendi a admirar por sua coragem e pela esperança que ransmmitiam.
Mais de uma vez eu, mesmo que virtualmente, pude compartilhar e, por que não?, auxiliar alguém que sofria. Por exemplo uma moça maravilhosa da comunidade Leu na Veja Azar o Seu, sofreu um derrame e toddos na comunidade se mobilizaram para doação de sangue para ela, orações e ela felizmente se recuperou. Eu a chamava a chamava de Encanto e ela é um encanto mesmo. Isso me fez muito bem.