23 de novembro de 2011

Mentiras e falsidades na rede



por Eliakin Araujo no Direto da Redação

A história da repórter de uma emissora de TV do Mato Grosso que levou uma bofetada na cara, desferida por um vereador em frente à câmera,  é um dos episódios mais tristes do jornalismo.  O vídeo correu mundo e o fato ganhou maior destaque depois que foi postado no Youtube .  Até hoje não sei como acabou a história e se o agressor sofreu algum tipo de punição.

Como a nossa Justiça não é lá muito confiável, é bem provável que o vereador boçal tenha passado incólume pelo episódio torpe e covarde de agredir alguém que fazia o seu trabalho e se dirigiu a ele de maneira gentil e educada. Antes que  fizesse qualquer pergunta, ela o chamou pelo nome ou apelido. Como resposta, a repórter Marcia Pache (foto) recebeu  o tapa no rosto desferido com toda força.  O Brasil inteiro já viu a cena, mas vai aqui o link  para aqueles que não a conhecem :

( Veja o vídeo )

Vista essa estupidez, não há o que comentar, as imagens falam mais alto.  Mas o que me leva a voltar a esse assunto é que, anos depois, esse vídeo continua circulando na rede, repassado às centenas, milhares de vezes, talvez,  atribuindo a agressão ao "vereador José Rainha, do PT". Na semana  que passou, o email voltou à minha caixa postal com os seguintes dizeres e formato:

"CENA COVARDE DE Vereador José Rainha do PT !!!

CENA COVARDE DO VEREADOR DO PT.

VEJA O NÍVEL DO POLÍTICO BRASILEIRO

O Vereador José Rainha do PT - em cena covarde de um bandido, A  reporter toma uma bofetada no rosto, ao cumprir o seu trabalho jornalístico. Esta cena embora distribuído á imprensa, ainda não foi publícado em nenhum jornal, rádio ou canal de televisão.

Vamos fazer a nossa parte divulgando, para que, todos tenham a oportunidade de saber o nível dos políticos brasileiros, principalmente do PT.

Isso só acontece por nossa culpa, esse bandido, foi eleito pelo povo.

Faça a sua parte; Divulgue !"

Omiti as imensas listas de internautas que receberam e repassaram a mensagem.

Não tenho nada com a história, nem procuração para defender quem quer que seja.  Mas não consigo reprimir, como profissional de internet, um certo sentimento de frustração ao perceber que uma extraordinária ferramenta de informação e análise, é usada como meio de espalhar mentiras e falsidades com objetivos politicos.

Se o leitor repassador de emails tivesse o cuidado de fazer uma mínima pesquisa na internet, veria que, no caso da repórter Marcia,  o agressor é o vereador Lourival Rodrigues, do DEM, cujo apelido Kirrarinha, virou "José Rainha, vereador do PT".  Não é surreal?  Há dezenas de matérias publicadas pela míidia e reproduzidas no Google com os nomes dos verdadeiros personagens da trama.

Penso que a maioria das pessoas repassa emails desse tipo por ingenuidade, porque se revolta ou se emociona com o apelo contido na mensagem, mas por trás dos ingênuos estão as cobras criadas que se aproveitam da mínima oportunidade para distribuir mentiras e falsidades na rede com objetivos políticos.

Muita gente já escreveu sobre os abusos cometidos diariamente na internet e sua impunidade, embora já existam decisões em nosso Judiciário punindo determinados crimes praticados na web.  Penso que atribuir irresponsavelmente a autoria de determinado evento a terceiros,  na rede de computadores, deveria constituir-se em crime passível de punicão, como qualquer outra previsto em nossas leis penais.  Quem sabe, assim, os criadores e repassadores pensariam duas vezes antes de espalharem  mentiras e falsidades na rede.



1 comentário

Eugenio Hansen, OFS

Paz e bem!

Sendo antiPT
tem gente que acredita em tudo.

Ano passado
no grupo de email
dos excolegas do colégio
voltaram a mandar a powerpoint
da "Fazenda" do Lulinha.

Não adiantou mostrar
que a suposta sede
da Fazenda Guerra
é a sede da ESALQ-USP;
motrar um artigo
da Isto É Rural
ccom o real proprietário
da Fazenda declarando
que a boato o incomodava.

Nada disto serviu:
Lulinha continuava culpado.