17 de outubro de 2010

"Dona de gráfica que estava imprimindo panfletos contra Dilma é do PSDB"


O que não falta nesta campanha eleitoral é emoção.

Na tarde de sábado, 16 de outubro, blogueiros independentes ( os sujos) e twiteiros de todo o Brasil ficaram em estado de alerta até altas horas da madrugada de domingo.
Um grupo de militantes do PT montou guarda em frente a gráfica Pana, outros em seus PCs. pesquisavam as relações perigosas dos donos da gráfica, igrejas conservadoras e outras instituições que se movem na surdina para tentar eleger o mais novo Príncipe do reacionarismo e do atraso.
O principe das trevas José Serra, com cara de paisagem, assistia missa no interior do Ceara e deixava seus jagunços e coronéis fazerem o serviço sujo.
Acompanhem mais um lance desta emocionante história que está mais para policial do que para eleitoral.




http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/ via RioBlogProg




Já passava das 2 da manhã desse domingo. Na porta da gráfica Pana, no Cambuci, um grupo de 50 a 60 pessoas seguia de plantão - para evitar a distribuição dos panfletos (supostamente encomendados pelo bispo católico de Guarulhos) recheados de mistificação religiosa e de ataques contra a candidata Dilma Rousseff. Mais um capítulo da guerra suja travada nessa que já é a mais imunda eleição presidencial, desde a redemocratização do Brasil. Na internet, durante a madrugada, outro plantão rolava: tuiteiros, blogueiros e leitores de todo o Brasil buscavam informações sobre os donos da gráfica, e sobre as possíveis conexões deles com o mundo político.
Stanley Burburinho (ele mesmo!) e Carlos Teixeira fizeram o trabalho. Troquei com eles algumas dezenas de mensagens. E essa apuração colaborativa levou à descoberta: uma das sócias da gráfica Pana é filiada ao PSDB, desde 1991!
Trata-se de Arlety Satiko Kobayashi, vinculada ao diretório da Bela Vista - região central de São Paulo. Nenhum problema com a filiação de Arlety ao partido que bem entender. O problema é que a gráfica dela foi usada para imprimir panfletos aparentemente encomendados por um bispo, mas que "coincidentemente", favorecem ao candidato do partido dela. Aqui, o contrato social da empresa - onde Arlety Kobayashi aparece como uma das sócias: contrato_social_grafica_pana[1]

Mais um detalhe: Arlety é também funcionária pública, tem cargo na Assembléia Legislativa de São Paulo. E tem um sobrenome com história entre os tucanos: Kobayashi. Paulo Kobayashi ajudou a fundar o partido, ao lado de Covas, foi vereador e deputado por São Paulo. Arlety aparece como doadora da campanha de Victor Kobayashi ao cargo de vereador, em 2008. Victor concorreu pelo PSDB.
A conexão está clara. Os tucanos precisam explicar:

- por que o panfleto com calúnias contra Dilma foi impresso na gráfica de uma militante do PSDB?
- quem pagou: o bispo de Guarulhos, algum partido, ou a Igreja?
- onde seriam distribuídos os panfletos?
- onde estão os outros milhares de panfletos?

Os panfletos do Cambuci são mais uma prova da conexão nefasta que, nesa eleição, aproximou os tucanos da direita religiosa - jogando no lixo a história de Covas, Montoro e tantos outros que lutaram para criar um partido "moderno", que renovasse os costumes políticos do país. Serra lançou esse passado no esgoto - e promoveu uma campanha movida a furor religioso.
Mas não é só isso!

Se Arlety Kobayashi (uma tucana) é a responsável pela impressão dos panfletos, na outra ponta quem é o sujeito que encomendou tudo?
O Blog "NaMaria" traz a investigação completa, que aponta Kelmon Luis da S. Souza como o autor da "encomenda". Ele teria ligações com movimentos integralistas e monarquistas!O Blog do Nassif , por sua vez, mostra que as conexões poderiam chegar até bem perto de Índio da Costa (DEM), o vice de Serra. Ele, em algum momento, também teve proximidade com monarquistas. Mas esse detalhe ainda não está bem esclarecido.
De toda forma, o círculo se fecha: tucanos, demos e a extrema-direita (católica, integralista ou monarquista). Todos unificados numa barafunda eleitoral que arrastou nomes de bispos para a delegacia, e nomes de políticos para o rol daqueles que apostam na guerra de religiões como arma eleitoral.
Há mais mistérios entre o céu e o Serra do que supõe nossa vã filosofia. Paulo Preto é um deles. A gráfica do Cambuci parece ser outro. Mistérios que não serão decifrados por teólogos, mas por delegados e agentes federais.É caso de polícia. E não de religião.

Fontes: Luiz Nassif Online, NaMaria News, Escrevinhador (Rodrigo Vianna) e Os Amigos do Presidente Lula.


2 comentários

Anônimo

E qual é o problema, seus golpistas comunistas!!! Vocês odeiam a liberdade de expressão! Que mentiras e calúnias? Que e aDilma é abortista!!!! Isso todo mundo já sabe!!!

Avelina Martinez Gallego

Não é produivo alimentar trolls e covardes anônimos, mas neste caso esclareço:
Golpistas, são os que querem ganhar eleições no tapetão e convocam as forças mias retrógradas e violentas da siciedade, como p. ex., a TFP.
Comuniistas são os filiados aos partidos políticos comunistas, que são legais no nosso país. Portanto, não serve de ofensa.
Quem odeia liberdade de expressão é o seu guru Serra que manda demitir jornalistas por telefone, quando estes ousam fazer perguntas inoportunas para seu propósito de poder.
Dilma não é médica nem parteira, portanto, não pode ser chamada de abortista. Também não há informações de que tenha feito algum aborto, ao contrário da hipócrita madame Mônica Serra.
Anõnimos são covardes, mentirosos e burros.
Mas, mesmo assim, obrigada pela visita