19 de agosto de 2009

Mas o que é mitômano, e quem é o mitômano?



Maria José é uma moça muito simples, trabalha de diarista e não chegou a concluir o ensino fundamental, pois teve que trabalhar muito cedo para ajudar a familia.
“Sabe como é né Pasiô?”
Ela me chama carinhosamente de Pasiô.
“No meu tempo de criança não tinha Lula nem Bolsa Família.”
Mas é uma moça muito inteligente, curiosa, gosta de acompanhar os acontecimentos políticos e, quando não entende alguma coisa, pergunta.
Ontem, ela me ligou preocupadíssima:
“Pasiô, do que é que o Serra tá acusando o Mercadante na televisão?
Tá chamando o Mercadante de mitômano, o que é isso? É grave?
Será que é por causa dessa gripe dos porquinhos?”
Expliquei a Maria José que mitômano é uma pessoa que mente muito, não consegue viver sem mentiras, é quase um vício.
Expliquei-lhe também, que estava admirada com a atitude do Serra, sempre calado, agindo só nos bastidores, fazendo cara de paisagem quando alguém toca em assuntos como o caso Alston, o buraco do metrô, as denuncias de uso de verbas da educação para benefeciar editoras amigas.
O que teria levado o “taciturno” Serra a ficar tão bravo com o Mercadante?
A própria Maria José me deu a resposta:
“Ah! Pasiô, é que o Serra é que nem o meu patrão, o seu Genaro que mora lá na Móoca. O homem tá sempre quieto, mas quando alguém cutuca êle, o sangue calabrez sobe na cabeça e, quem tiver por perto leva”.
“E se tem alguém que é esse negócio de mitômano ai, é o Serra. Ô home mentiroso Pasiô!”
Daí a Maria José me lembrou do caso Lunus, uma grande mentira, do caso do dinheiro fotografado com petistas durante a campanha para o governo de São Paulo, outra mentira. Das ambulâncias superfaturadas, outra mentira.
“Olha só Pasiô, é uma mentirada doida. Então eu tô achando que o Serra apontou um dedo pro Mercadante e esqueceu que tem 4 apontados prá ele”
Realmente essa Maria José é muito observadora e tem uma memória de elefante, coisa rara nos brasileiros e, principalmente, nos paulistas.
Mas,hoje ao ler o blog do Nassif, as coisas começaram a clarear e deu para entender a atitude intempestiva do taciturno Serra. http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/08/19/o-ultimo-suspiro-de-serra-2-2/Se o Mercadante tivesse atentado para esse detalhe, não teria feito aquele comentário sobre as mentiradas do Serra no seu currículo, pois como diz a Maria José, o sangue calabrez quando sobe à cabeça, é um perigo.

2 comentários

Anônimo

Petralha burro, tem um erro de português no título, infeliz iMundo.

La Pasionaria Ibarrure

OLÁ SR. ANÔNIMO,
SERIA LOUVÁVEL E ACEITÁVEL A CORREÇÃO DE QALQUER ERRO.
mas é inaceitável a covardia de anônimos que, ao usar o trmo petralhas, se denunciam.
Tucanalhas eruditos que escrevem um português correto, como seu grande líder, nunca erram na gramática, mas são um desatre na política.
Obrigada por visitar o blog, continue visitando.